A citação do réu fujão

Quem disse que advogado não tem uma veia investigativa? Se assim não fosse, e tivéssemos que esperar pela boa vontade dos membros do Poder Judiciários, muitos processos estariam fadados aos esquecimento nas prateleiras dos Cartórios Judiciais.

Advogo para uma pessoa que teve seu carro apreendido em uma blitz policial, pois o vendedor do automóvel (revenda de carros usados) não informou que este possuía um financiamento anterior, em atraso, inclusive com ação possessória em seu desfavor, e mesmo assim fez um novo financiamento, com outro banco e transferiu o carro para a minha cliente.

Após esgotar os meios extrajudicias para rever o dinheiro dado como entrada, bem como todas as parcelas pagas do novo financiamento, ingressamos com ação indenizatória contra a revenda de carros e também contra o banco que realizou o novo financiamento, além de formalizar um Boletim de Ocorrência perante a autoridade policial para a apuração da prática do crime de estelionato.

O processo cível corre normalmente contra o Banco que financiou o carro que já estava financiado, pois faltou com o dever de cautela e responde objetivamente, nos termos do Código de Defesa do Consumidor, bem como contra o vendedor que não informou a situação pretérita do veículo, agindo claramente de má-fé.

Este último, por sua vez, não é encontrado para citação, já faz três anos.

Ontem recebi uma ligação da minha cliente informando que havia sido intimada para comparecer em audiência criminal na data de hoje, na condição de vítima/testemunha, em ação penal em que o vendedor do carro figura como réu, tendo sido denunciado pela prática do crime de estelionato. Imediatamente, corri para o Fórum e despachei pessoalmente com o Juiz do processo cível, requerendo a expedição de mandado para que o réu fosse citado na audiência criminal, pois certamente compareceria, haja vista que foi regularmente citado e até constituiu advogado.

Na hora designada, compareci à audiência, acompanhando minha cliente, e juntos assistimos a cena tão esperada. Em um determinado momento, entra na sala de audiências a oficiala de justiça do Ofício Cível, pede a autorização do Juiz para praticar o ato e cita efetivamente o réu, botando fim em uma busca que dura desde meados de 2008.

A expressão do acusado ao ver que não poderia escapar da citação na frente de um Juiz, valeu o dia!

3 respostas para A citação do réu fujão

  1. Dawidson disse:

    hahaha
    cheque mate nele. boa estratégia!

  2. Que bom encontrá-lo aqui novamente, meu amigo Dawidson.

    Apareça mais vezes com os seus pertinentes comentários.

    Se puder, ajude a divulgar o blog para seus colegas, para que possamos fomentar sempre as discussões nos posts.

    Um forte abraço e tenha uma semana abençoada.

  3. valquiria disse:

    acho que perdi uma causa mas no final aparece pede deferimento o que quer dizer?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: